Entenda, de uma vez por todas, o funcionamento do DPS em um sistema fotovoltaico.

June 17, 2018

   O Brasil atualmente é um dos países com maior incidência de descargas atmosféricas por ano no mundo. Uma descarga atmosférica, que pode ocorrer direta ou indiretamente, é capaz de provocar uma corrente elétrica de imensa intensidade que ao longo do seu percurso ioniza o ar e cria um plasma que emite radiação eletromagnética sob forma de luz.

Descarga direta, trata-se de um raio que atingiu diretamente a edificação ou um local muito próximo a ela. Possui alta intensidade e longa duração de tempo. Já as descargas indiretas ocorrem quando um raio atinge um local um pouco mais distante, porém este é transmitido pela rede elétrica até a edificação. Possui uma intensidade um pouco menor e curta duração de tempo.

   A partir disso surgiram os DR’s, com o intuito de reduzir os danos causados por essas descargas.

 

  • Qual a função de um DPS

 

   O DPS ou dispositivo de proteção contra surtos, quando utilizado em sistemas fotovoltaicos, tem como objetivo evitar danos às instalações e equipamentos devido as sobretensões transitórias causadas por descargas atmosféricas diretas ou indiretas.

 

  • Quais os tipos de DPS

 

   Existem três tipos de DPS’s que podem ser utilizados em sistemas fotovoltaicos. São eles:

 

  1. DPS tipo 1 – Utilizado para a proteção contra descargas atmosféricas diretas. É responsável por conduzir uma grande parcela da descarga para o aterramento da edificação. É utilizado em locais que possuem risco de ocorrer descargas atmosféricas e nunca pode ser utilizado sozinho, pois quando este conduz a corrente de surto, deixa passar uma tensão residual para sua instalação ou equipamento, necessitando de outro tipo de DPS para atuar juntamente com ele.

  2. DPS tipo 2 – Utilizado para a proteção contra descargas atmosféricas indiretas. É responsável por conduzir essa corrente da descarga ou a corrente gerada pela tensão residual do DPS tipo 1 para o aterramento da edificação. Assim, recomenda-se sempre que for necessário utilizar o DPS tipo 1, utilizar também o tipo 2. Por esse motivo, existe atualmente no mercado o DPS tipo 1 + 2, que nada mais é que os tipos 1 e 2 juntos.

  3. DPS tipo 3 – É responsável por conduzir correntes de surto causadas por eventos internos à instalação. Geralmente é instalado diretamente na tomada do aparelho, fazendo assim a proteção do equipamento eletrônico.

 

  • Como funcionam

 

   O DPS é como uma chave que quando a tensão sobre seus terminais excede o valor para o qual foi projetado, conduz a descarga para o aterramento de sua edificação, evitando que ela atinja suas instalações ou equipamentos. Por isso, para que o DPS detecte corretamente o surto em seus terminais, é muito importante que ele seja projetado corretamente.

 

   O fato do DPS proteger suas instalações ou equipamentos lhe traz a garantia do retorno do investimento aplicado no sistema fotovoltaico, prolongando sua vida útil. Tem mais alguma dúvida? Entre em contato conosco que será um prazer ajudá-lo.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Arquivo
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Instagram Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Basic Square

© 2019 Ejel - Consultoria e Projetos Elétricos Jr.